20
fev
2014

Carro usado – revisão da vela pode evitar surpresas

Para evitar a chateação de comprar um carro usado e ter que levá-lo várias vezes à oficina para a troca de peças gastas, cabos de ignição e sensores de oxigênio do mundo, ressalta a necessidade de uma verificação preventiva dessas peças, do sistema de freios, embreagem, catalisador, amortecedores, suspensão, luzes, o estado das correias e demais itens de segurança, além de uma possível necessidade da troca de óleo.

Segundo especialistas, é importante que um mecânico de confiança realize a análise nas velas e cabos anualmente ou a cada 10 mil quilômetros rodados, o que ocorrer primeiro. Akira Bando, proprietário da Akira Auto Repar, instalada desde 1976 em Guarulhos, na Grande São Paulo, completa: “Se as velas estiverem muito gastas, provavelmente, o veículo já rodou mais de 20 mil km”.

Velas

“Durante a inspeção e substituição das peças desgastadas é possível fazer diagnósticos mais específicos como, por exemplo, saber o estado do motor por meio das condições das velas. Após a revisão da sonda lambda, saber se o antigo proprietário utilizava combustível de má qualidade ou adulterado. Velas escuras e oleosas indicam que o motor já está queimando óleo. Velas escuras e com fuligens apontam um consumo alto de combustível”, explica Hiromori Mori, técnico da Assistência Técnica da NGK.

Akira Bando lembra que durante a revisão também é possível utilizar um scanner de diagnóstico para saber a quilometragem aproximada do veículo, revelando uma possível adulteração no hodômetro. “Além disso, um mecânico experiente pode ter uma ideia da quilometragem correta, observando o desgaste dos catalisadores, velas e outros componentes”, reforça o mecânico.

velas-2
Os consultores da área destacam que a análise preventiva de velas e cabos garante o funcionamento da ignição do veículo, facilitando a partida imediata do motor. As velas com demasiadamente desgastadas podem diminuir o desempenho do carro, dificultando a partida após um período desligado como, por exemplo, da noite para o dia. Outros problemas que podem surgir são o alto consumo de combustível, irregularidades no funcionamento, falhas durante retomadas e aumento dos níveis de emissões de gases poluentes. Também podem comprometer outros componentes, como rotor, distribuidor e bobina/transformador.

O sensor de oxigênio, ou sonda lambda, como também é conhecido, é mais um item produzido pela NTK e, segundo Bando, pode ter sua vida útil comprometida devido ao uso de combustível de má qualidade ou funcionamento irregular do motor. Por isso, a importância de uma análise feita por um profissional experiente, antes de o carro usado ser adquirido. O uso inadequado da Sonda Lambda ou seu mau funcionamento podem causar queda de rendimento do motor, além de aumento no consumo de combustível e da emissão de gases poluentes.
velas-3
Segundo Bando, a análise deve ser feita por profissionais experientes e de confiança. A revisão preventiva e periódica evita preocupações futuras, além de proporcionar maior economia em relação a manutenções corretivas.


POSTADO EM Curiosidades

COMENTAR

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *